Lançamento – Outras Vozes

Capa2

Data: 3 de outubro de 2015

Local: Galeria Olido – Avenida São João, 473 – Centro, São Paulo – SP

Horário: das 18 à 22 hs

Investimento: R$45,00 (Quarenta e cinco reais)

Editora: 11 Editora

Edição Original: 2015

ISBN: 978-85-69013-03-7

 

Madalena nasceu sem os braços, mas atinou que depois de abraçar as pessoas com as pernas, boca e ouvido, as criaturas ficavam felizes. A escrava ganhou fama. Frei João da Luz chegou a contar que no meio daquele abraço tinha visto a verdadeira face de Cristo. Sua história e muitas outras estão em Outras Vozes – contos sobre o negro escravizado no Brasil, do autor Plínio Camillo.

A obra mistura ficção a fatos reais, em 33 contos, e dá ao negro do período escravocrata uma voz dissonante, situando-o como protagonista, ora o oprimido, ora o opressor. Temas sobre os quais pouco se fala na historiografia oficial, como a inúmera presença de negros muçulmanos na Bahia, são tratados de forma bastante original.

Em narrativas que muitas vezes flertam com a sonoridade do poema, Camillo transporta o leitor para variados cenários e enredos, desde a vinda nos navios negreiros e o trabalho nas fazendas, passando pelos “negros de estimação”, até os alforriados que trabalhavam nas cidades.

Zulmira, que teve os seus filhos vendidos, Ifigênia, a cozinheira desdentada, João Criolo, o escravo faiscador, Antônio, o negro alforriado são alguns dos personagens do livro, que traz também contos inspirados em fatos reais da história brasileira, como o que relata o flagelo do alufá Bilal Licutan, um dos líderes da Revolta dos malês de 1835, condenado a 24 dias de açoites.

Esta coletânea está em pré-venda no site de 11 Editora – http://www.11editora.com.br/index.php/outras-vozes.html

Anúncios

Um comentário sobre “Lançamento – Outras Vozes

  1. Fiquei muito interessado na obra. Literatura desse ponto de vista é rara e os motivos são óbvios. Na música, onde os negros tiveram participação decisiva, conheço apenas duas em primeira pessoa escrava: Leilão (Heckel Tavares) e Sinhá (Chico Buarque – João Bosco).

Por gentileza: comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s